sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Certo fevereiro

E eu, que por capricho achava
por pura besteira, porque gostava
que sentaria na beira do abismo
ou na curva daquela estrada

E eu, que nas noites insones
deitava na cama, olhava pro nada
Não havia nem mesmo os Stones
Minha maldita vitrola 'tava quebrada!

foi tu de frente, alí parado
Com o cigarro aceso na mão
me sorriu e deu um trago
Ressucitou meu coração

E embora eu me esconda nesse manto
É instigante esse teu jeito
Não gosta de se fazer de santo
Nem mostra qualquer defeito

Me apaixonei por um pecador
Nesse quase conto-de-fadas
Conheci o tal do Amor
Quando desci aquelas escadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário